Se decoração é uma das suas paixões, com toda certeza você já ouviu a palavra vintage, por aí! O termo, que para muitos remete à objetos ~velhos~ , na verdade vai muito além apenas da idade dos objetos de decoração, chegando a ser fazer parte de um estilo de vida.

Mas o que é então o vintage? Qual a diferença entre vintage, retrô, clássico e kistch? Caso você esteja pensando em  montar um ambiente com essa pegada na sua casa, esse post foi feito para você. Vem com o The Shoppers que a gente te explica tudo sobre o assunto!

Afinal, o que é vintage: definição

Antes de começar a redecorar toda sua casa preciso entender o que realmente é  vintage. Este entende-se como estilo vintage aquele onde os objetos de decoração são de fato antigos, sem nenhum tipo de adaptação ou alteração para se parecer com itens modernos. Sabe aquelas coisas que a gente só encontra em casa vó? Móveis antigos como cristaleiras, cadeiras de balanço e vitrolas, são alguns exemplos de componentes de uma decoração vintage.

Normalmente este tipo de decoração possui uma pegada mais romântica, mas sempre buscando com um toque de elegância. Em relação às cores, a maioria dos elementos levam cores mais escuras. Obviamente que essa não é uma regra! Porém, isso acaba acontecendo naturalmente, já que muitos objetos de decoração mais antigos são feitos de madeira de lei, que costuma ser em tons mais escuros.

Também vale ressaltar que o  investimento em utensílios, que não apenas mobília, é mais do que válido. Por exemplo: você pode utilizar objetos antigos como telefones, quadros, luminárias, bicicletas e etc. Isso é ser vintage, de fato!

Afinal, o que é vintage: retrô

É importante saber a definição de vintage, já que muita gente acha que os estilos vintage e retrô são praticamente a mesma coisa. Na verdade há uma diferença bem clara entre os dois. Ao contrário do vintage, o estilo retrô apenas busca inspiração na decoração antiga. Ou seja, os itens utilizados não são de fato antiguidades ou heranças de família, como acontece com os itens vintage.

Justamente por isso, o estilo retrô acabou se popularizando tanto entre os amantes da decoração. Afinal, objetos vintage costumam ser muito mais caros e difíceis de serem encontrados do que os retrôs. Isso sem contar na vantagem do estilo de possuir uma pegada mais contemporânea, o que facilita o mix com itens mais modernos e atuais. Dessa forma, você não precisa investir em um ambiente totalmente retrô. Apenas alguns objetos de decoração deste tipo já fazem toda diferença no resultado final.

Fortemente influenciado pelas pelas décadas de 50, 60 e 70, os itens retrôs são mais  dinâmicos e impactantes. Suas características também garantem que esse estilo seja mais impactante visualmente falando. Entre suas particularidades estão mobílias mais baixas e alongadas, muitas linhas retas, sofás compridos, poltronas arredondadas, pés cromados, além de móveis com pernas longilíneas e pontiagudas.

Afinal, o que é vintage: clássico

Como se não bastasse a confusão entre o vintage e o retrô, ainda temos o clássico. Como o próprio nome já diz, mais sóbrio e tradicional, o estilo é praticamente atemporal e possui muitos adeptos. Com características bem marcantes, costuma busca linhas elegantes e requinte. Derivado da Grécia e Roma antiga, este tipo de decoração possui uma ar de realeza.

Entre suas características e elementos podemos citar as peças talhadas com elementos bem torneados evidentes e curvos, elementos metalizados, predominação de uma paleta de cores com azul marinho, preto e verde esmeralda e a mistura de cores douradas, prateadas e cores que lembram ferrugem.

Afinal, o que é vintage: Kitsch

Outro estilo que é muito confundido com o vintage e o retrô é o kitsch. Para quem não conhece, o termo tem origem alemã e vem do termo “verkitschen”, que significa a arte de “sentimentalizar”. Ou seja, o estilo Kitsch se utiliza de elementos (muitas vezes vintage ou retrô), cores e combinações que externalizam gostos e preferências da pessoa que decorou o ambiente.

O kitsch é muito conhecido pela ausência de regras de composição. É por isso que  muitas vezes o ambiente ganha combinações com vários elementos e cores, o que para algumas pessoa se torna exagero.

Outra característica importante do kitsch é a ausência de composições totalmente simétricas ou harmoniosas. Isso acontece pelo fato do estilo agrupar diferentes combinações de gostos e sentimentos. Então não tem como o resultado não um ambiente único, cheio de itens de valor pessoal e compostas por muitos elementos vintages e retrôs.

Afinal, o que é vintage: dicas para ambientes vintage e retrô

Agora que você já sabe a diferença entre os estilos vintage, retrô, clássico e kistch, fica mais fácil de saber qual linha seguir em sua decoração. Não que seja obrigatório escolher apenas um estilo, até porque a casa é sua, né?! Mas entender a diferença entre cada um deles pode fazer diferença na busca por um ambiente harmonioso.

Se você ainda tem dúvidas, ou gostaria de mais dicas sobre esses tipos de decoração, confira este link da “Bucalo” com sugestões que melhor combinam para cada uma das linhas de decoração. Depois compartilha com a gente como ficou sua ~nova/velha~ casa! O The Shoppers está no Facebook, Youtube, Instagram ou Twitter. Te esperamos por lá ;)

 

Bom garimpo e até a próxima Shopper!