Fun

Curiosidades sobre a história do Futebol Feminino

Source: Vox

Mais uma vez, o mundo parou e a bola começou a rolar! O gostinho de “quero mais” que a Copa do Mundo de 2018 deixou, foi substituído pela mais nova paixão do Brasil e de 23 outros países que se classificaram para a Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2019.

Foto: Shutterstock
Dos dias 7 de junho à 7 de julho, a seleção irá competir pelo título mundial do torneio organizado pela FIFA (Federação Internacional de Futebol), diante dos olhos de mais de 200 milhões de brasileiros.

Desde o início do mês de junho, pela primeira vez na história da televisão brasileira, os jogos estão sendo transmitidos simultaneamente pela Globo, SBT, Band e Record, competindo pela audiência de todo o país, atingindo o pico de 21 pontos de audiência (em São Paulo, cada ponto representa quase 200 mil pessoas assistindo ao canal). Com um mês de duração, a Copa do Mundo terá tempo suficiente para que o futebol feminino mostre que é tão impressionante e apaixonante quanto o futebol masculino.

Enquanto aguardamos o próximo jogo da seleção brasileiro, decidimos separar algumas curiosidades sobre a origem da categoria e sobre as edições passadas da Copa do Mundo de Futebol Feminino. Preparados(as)? Bola em jogo!

Curiosidades e História do Futebol Feminino

Fonte: Vox
Fonte: Vox

1. O primeiro registro de uma partida de futebol entre mulheres foi em 9 de maio de 1881, onde uma matéria do jornal escocês, Glasgow Herald, descrevia o jogo como “uma partida muito romântica”. A competição foi entre os times da Escócia e Inglaterra, com jogadoras utilizando camisetas, meia-calça, cintos, botas de salto alto e toucas. Muitas delas utilizam pseudônimos, por proteção.

2. A partida reconhecida oficialmente como o primeiro jogo de futebol feminino foi em 23 de maio de 1895, entre times representando o Sul e Norte de Londres. O placar foi de 7×1 para a equipe do Norte, dessa vez com jogadoras utilizando tênis próprios para o esporte e com a presença Mary Hutson, conhecida na época como Nettie Honeyball, fundadora do Clube de Futebol Feminino Britânico (1895).

Source: http://www.dickkerrladies.com/
Fonte: Site oficial da Dick, Kerr Ladies

3. Após a legalização de 1918, que permitia que mulheres fizessem parte do Parlamento Britânico, o futebol feminino ganhou mais atenção, devido à nova visão que isso trouxe sobre o direito das mulheres. Em 1920, um dos primeiros times oficiais de futebol feminino, Dick, Kerr’s Ladies FC, fundado em Preston, jogou duas partidas históricas. A primeira contra French XI, ganhando de 2×0 na frente de 25 mil espectadores e a segunda, contra o time St. Helen’s Ladies, em frente à 53 mil torcedores no estádio de Liverpool, Goodison Park.

4. Em 1921, a FA (The Football Association) baniu a prática oficial do futebol feminino, alegando que “não combinava com as mulheres e não deveria ser encorajado”. Em 1969, foi inaugurada a Women’s Football Association (WFA), que influenciou na remoção do banimento em 1971, permitindo que mulheres pudessem jogar novamente, ganhando muita força, relevância e público nos anos seguintes.

5. No ano de 1991, na China, ocorreu a primeira Copa Mundial de Futebol Feminino, organizada pela FIFA, já com 24 seleções e no mesmo ano que a WFA lançou uma liga nacional de futebol entre mulheres. A final foi entre Estados Unidos e Noruega, resultando no placar de 2×1:

6. O segundo maior público registrado no futebol feminino, foi na final da Copa Mundial de Futebol Feminino de 1999, no estádio Rose Bowl, em frente à 90.185 fãs do esporte.

7. Os Estados Unidos tem a seleção com mais títulos de Copa Mundial, totalizando 3 conquistados nos anos de 1991, 1999 e 2015. O Brasil possui somente um título, resultado do placar de 5×4 em 2007, contra a Noruega.\

8. Em 2003, a sede da Copa Mundial seria a China, porém a epidemia de SARS (síndrome respiratória aguda grave) fez com que o evento fosse transferido para os Estados Unidos. A seleção da China foi automaticamente classificada e o país pode receber o torneio em 2007.

Fonte: Wikipedia
Fonte: Wikipedia

9. A brasileira Marta Vieira da Silva, é a primeira entre jogadores homens e mulheres, a marcar nas cinco edições da Copa do Mundo que participou e atualmente é a maior goleadora da história das Copas, com 17 gols registrados.

View this post on Instagram

#repost @goequal__ ・・・ Nós precisamos de apoio. Mas mais do que apoio, nós precisamos de respeito. E dar valor é a melhor forma de mostrar respeito a alguém. No esporte. Na vida. Por isso a equidade é algo pelo qual todas, todos e todxs devemos lutar. E a hora de agir é AGORA. Faça o gesto de igualdade e poste marcando a nossa hashtag #GoEqual . . . We need support. But more than support, we need respect. And giving value is the best way to show someone respect. In sports. In life. That is why equity is something that we must fight for. And the time to act is NOW. Make the equality gesture and post marking our hashtag #GoEqual . . . Necesitamos apoyo. Pero más que apoyo, necesitamos respeto. Y dar valor es la mejor forma de mostrar respeto a alguien. En el deporte. En la vida. Por eso la equidad es algo por el cual todas, todos y todavia debemos luchar. Y la hora de actuar es AHORA. Hacer el gesto de la igualdad y el post que marca el hashtag #GoEqual

A post shared by martavsilva10 (@martavsilva10) on

10. Em 2019, Marta lançou a campanha #GoEqual, defendendo a importância da mulher no futebol e a igualdade de salários entre jogadores do sexo masculino e feminino. A futebolista foi considerada melhor jogadora do mundo por seis vezes e é um dos principais nomes na história do futebol feminino.