Pop

Baco Exu do Blues ultrapassa Beyoncé e ganha o leão de Cannes

Direitos autorais: Baco Exu do Blues e gravadora

O rap nacional irá se lembrar do ano de 2019, como um marco histórico cheio de orgulho e conquista. No dia 18 de junho de 2019, pela primeira vez na história das premiações do festival de publicidade Cannes Lions, um clipe brasileiro ganhou o prêmio na categoria Entertainment for Music (entretenimento para música).

Dirigido por Douglas Ratzlaff Bernardt, o curta-metragem da faixa Bluesman, música autoral do rapper baiano Baco Exu do Blues, venceu o prêmio Grand Prix do festival Cannes, ao lado do clipe de “This is America”, música do rapper Childish Gambino, famoso por suas críticas intensas ao racismo em território norte-americano.

Ambos os clipes abordavam a questão do racismo e utilizaram protagonistas negros e fizeram tanto sucesso no YouTube e nas avaliações do evento de publicidade, que desbancaram o clipe “Apeshit”, gravado no Museu do Louvre e produzido por Beyoncé e Jay-Z.

Baco Exu do Blues, curta-metragem Bluesman e prêmio Cannes

O clipe premiado foi divulgado no YouTube em 23 de novembro de 2018 e já tem mais de um milhão e meio de visualizações. No início do curta-metragem, o menino de 10 anos, Caique, conta que mora na favela do Alemão, famoso complexo conhecido pela alta criminalidade na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. Em seguida, o clipe corta para cenas acompanhadas de um texto de Baco Exu do Blues, defendendo a importância do ritmo de Blues, estilo musical que foi inventado por escravos e ex-escravos, no início do século XIX.

Toda a preparação do curta foi feita com tradução para o inglês, incluindo a descrição do vídeo no YouTube, com o texto entitulado “Bluesman” feito por Baco Exu. Fizemos a tradução, para que você possa acompanhar a crítica principal da música e clipe premiados no festival Cannes Lion 2019.

Bluesman – Texto de Baco Exu do Blues

1903.

A primeira fez que um homem branco observou um homem negro, não de uma forma agressiva ou desvio bruto e “animal” de inteligência. Dessa vez existe uma percepção de talento, de criatividade, de MÚSICA! O mundo branco nunca sentiu nada como o “Blues”. O homem negro, a guitarra e o canivete. Nascido em uma luta pela vida, nasceu forte, nasceu afiado. Nasceu pela verdadeira necessidade de existir!

O que é ser um “Bluesman”?

É ser o oposto do que “os outros” pensam. É nadar contra a corrente, ser sua própria força, sua própria raiz. É saber que nós nunca fomos uma reprodução automática de uma imagem submissa criada por eles.

Foda-se a imagem que você criou.

Eu não sou previsível.

Eu sou meu próprio Deus.

Eu sou meu próprio santo. Meu próprio poeta.

Me veja como um quadro negro, de um único pintor. Só eu posso fazer arte. Só eu posso me definir.

Você não tem esse direito.

Eu não sou obrigado a ser o que você espera! Nós somos muito mais!

Se você não se encaixo no que os outros pensam…

Você é um “Bluesman”.

 

Em 18 de junho de 2019, o curta-metragem Bluesman, do rapper baiano Baco Exu do Blues, ganhou o prêmio Grand Prix do festival publicitário Cannes Lion.